O que é segurança privada: entenda os benefícios

É sabido que o mercado de segurança privada só cresce no Brasil. Hoje, o sistema de segurança é considerado uma das maiores preocupações do brasileiro, que segue temeroso por sua segurança pessoal e de sua integridade física e moral. Nesse contexto entender o que é segurança privada e quais os benefícios se torna ainda mais relevante.

O que é segurança privada

Regulamentada pela Lei 7.102/1983 e pelo Decreto 89.056/1983, as atividades de segurança privada também são normatizadas pela portaria Nº 3233, de 10 de dezembro de 2012. O serviço de segurança privada é capacitado para identificar situações de risco com o intuito de prevenir a ação de criminosos contra pessoas e patrimônios. Os profissionais que exercem a profissão de vigilante tem porte de arma funcional e irão portá-las ou não de acordo com o contrato firmado entre empresa e cliente. Sua atuação fica sob a fiscalização do Departamento de Polícia Federal.

A segurança particular é responsável pela inibição de ações criminosas em diversos ambientes, sejam eles residenciais ou comerciais. Também se estende esse tipo de serviço a eventos de qualquer natureza.

Quais atividades contemplam a segurança privada

O objetivo da Segurança Privada tem como mote principal prevenir qualquer tipo de delito, roubo ou furto de pessoas ou locais, garantindo sua integridade física. Os vigilantes possuem determinadas atribuições que os obrigam a entender sobre legislação penal, primeiros socorros, prevenção e combate à incêndios, direitos humanos, defesa pessoal, segurança eletrônica e armamento e tiro.

Sua atuação pode ocorrer em ambientes abertos ou fechados, sejam eles residenciais ou comerciais, como por exemplo, condomínios, restaurantes, shoppings centers, serviços de escolta, transporte de valores e até a tradicional vigilância noturna. Todo profissional de Segurança Privada que esteja apto e bem treinado para a função, pode exercê-la em sua total plenitude, desde que tenha a formação adequada, além de ter sido aprovado na avaliação médica e psicotécnica.

Quem pode atuar em segurança privada

O conhecimento adquirido em curso de formação de vigilantes traz uma visão do ambiente como um todo, atuando estrategicamente em pontos vulneráveis. Outras características importantes que o profissional de segurança privada deve reunir são o senso de urgência, equilíbrio psicológico e autocontrole em situações de dificuldade, bem como aptidão para manter a organização e o sigilo das informações acerca de seus clientes.

Para atuar em Segurança Privada como vigilante, é necessário preencher alguns pré-requisitos do ART. 155 da Portaria 3.222/2012 do Departamento de Polícia Federal:

  1. ser brasileiro nato ou naturalizado;
  2. ter idade mínima de 21 anos;
  3. ter instrução correspondente à quarta série do ensino fundamental;
  4. ter sido aprovado em curso de formação de vigilante realizado por empresa de curso de formação devidamente autorizada;
  5. ter sido aprovado em exames de saúde e de aptidão psicológica;
  6. ter idoneidade comprovada mediante a apresentação de certidões negativas de antecedentes criminais;
  7. estar quite com as obrigações eleitorais e militares;
  8. possuir registro no Cadastro de Pessoas Físicas.

Porque a segurança privada se complementa à segurança pública

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) o número ideal seria o de um policial para cada 250 pessoas. Sabemos que o efetivo da polícia é muito baixo, sem contar a desvalorização da profissão e a demanda crescente de criminalidade. Em 2015 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o Brasil tinha um PM para cada 473 habitantes, enquanto em São Paulo o número era de um PM para 488 habitantes.

Com esses números negativos, o cidadão sente-se inseguro e prefere contar com um serviço profissional de segurança privada. Sabemos que a segurança pública é responsável por cuidar dos espaços públicos, portanto, a Segurança Privada atua em conjunto com a segurança pública, oferecendo maior conforto para o cidadão.

Quem pode se beneficiar dos serviços de segurança privada

Todo cidadão que se sentir em risco pode recorrer aos serviços de segurança privada e contratar um vigilante para cuidar de si, dos seus bens e de sua família. Garantir a integridade física, dos seus bens e lhe dar a sensação de segurança, livre de perigo, são algumas das funções exercidas pelo profissional da Segurança Privada, preparado para oferecer segurança e bem-estar ao cidadão, sua família, sua saúde e proteger suas propriedades.

Como escolher empresas de segurança privada

Certifique-se que as empresas e seus profissionais estão em dia com os documentos regulatórios sobre a execução das atividades da empresa. Isso inclui o Alvará Autorização (com suas revisões anuais) e também o Certificado de Segurança (com suas renovações anuais), ambos fornecidos pela Polícia Federal; certidões negativas de INSS, FGTS, Impostos Municipais, Estaduais e Federais; além de comprovar o recolhimento da contribuição sindical, o GRCS.

Entre em contato agora mesmo com a CADIZ e orce os serviços de Segurança Privada, fornecidos por ela.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *